O trabalho da mostra científico-cultural do sexto ano de 2021 teve como situação disparadora “disseminar o compromisso de amor em contraposição a um cenário atual ‘marcado por ódios, ausência de escuta, individualismos imperialistas e indiferença’. Convidamos a sociedade a ‘recuperar a capacidade de relação, tolerância, amorosidade e fraternidade’.  

 

Diante desse contexto, os estudantes desenvolveram um projeto de contação de histórias para propagar valores importantes à construção de uma sociedade melhor. As histórias estão presentes há muito tempo na vida das pessoas e dos povos. Elas ajudam a construir a sensação de união, a identidade de uma nação e contribuem para a transmissão de valores, conhecimento popular e ensinamentos. É, portanto, uma valiosa forma de ensinar. 

OEntão, os alunos e alunas do 6º ano encenaram para os pequenos do 1º ano do ensino fundamental I apresentações de teatro por meio da técnica de luz e sombra. Ao final, cada grupo levantou com o público a reflexão proposta pela história narrada – o conhecimento precisa, afinal, ser compartilhado.

 

O grupo em questão adianta que “Na nossa história, todos os amigos acharam a mesma coisa sobre a senhora, que ela era uma bruxa. Então, as crianças a menosprezavam, se achando superiores. Mas o protagonista acabou quebrando a perna próximo à casa da suposta “bruxa”, e mesmo com a má educação destinada a ela, a senhora o ajuda enquanto os amigos o deixaram lá. Ele ganha uma nova amiga e fica até mais maduro. Isso significa que nós julgamos as pessoas sem conhecê-las e que nós precisamos nos preocupar com as necessidades dos outros, mesmo se não os conhecemos.”

 

A história encenada por meio do teatro de sombras pode ser lida em https://novaescola.org.br/conteudo/4159/bruxas-nao-existem

group 4 photo.JPG

Grupo 4
Bruno Michetti, Carlos, Murilo, Rafael, Tiago e Pedro F.